Pesquisa aponta que entre 2019 e 2021 o consumo de rádio pela internet, no Brasil, cresceu 186%. Foto: Reprodução

Durante seus 100 anos de história, o rádio passou por reinvenções para se adaptar às mudanças de comportamento do ouvinte, que se tornou cada vez mais digital. Atualmente, 28% dos brasileiros afirmam que poder escutar rádio online mudou o jeito de consumir esse formato. Inclusive, em 2021 o consumo de rádio online cresceu 186%, em comparação com 2019.

Os dados são fruto do material “Rádio online: O som do novo”, da Kantar Ibope Media, que faz parta da edição de abril do Data Stories, conteúdo temático lançado mensalmente pela empresa. O documento foi elaborado com ajuda de informações coletadas pelos estudos Target Group Index e TG.Net.

Os diversos pontos de contato com o formato possibilita que mais ouvintes tenham acesso. O relatório revela que atualmente 46% dos brasileiros ouvem o meio via dial e 12% via digital. Além disso, 51% usam algum, ou os dois, formatos. O material também mostra que os ouvintes de rádio online têm uma relação próxima com novas tecnologias e utilizam a internet na hora de fazer compras, visto que 71% se mantêm atualizados com os desenvolvimentos tecnológicos e 59% acreditam que comprar online torna suas vidas mais fáceis.

O áudio online não se resume ao rádio, mas também ao formato de podcasts. De acordo com o levantamento, atualmente, 28% dos ouvintes de rádio já aderiram ao formato de podcasts. Entre os gêneros favoritos dos brasileiros, estão comédia e entretenimento (63%), notícias e política (51%) e negócios e finanças (44%). Com isso, a Kantar entende que há espaço para tanto para canais exclusivos como para veículos de imprensa neste formato.

Os devices preferidos pelos brasileiros para consumirem rádio online são os smartphones ou tablets (57%), seguidos pelos desktops e notebooks (35%), e outros aparelhos (14%). Além disso, de acordo com o relatório, a crescente presença dos aplicativos de emissoras em smartphones e tablets facilita o consumo desse formato. Em 2021, 36% dos ouvintes de rádio possuíam aplicativos de rádio, alta de 86% em relação à 2017.

Meio & Mensagem